Novo Degase

Notícias

  • Núcleo Central de Justiça Restaurativa faz novo encontro em Teresópolis

    10/05/2019

    Por Ascom Degase

    Após um primeiro encontro, em 15 de março, em que se colocou o Criaad Teresópolis, unidade de semiliberdade do Degase, como uma referência no futuro nas questões relativas à Justiça Restaurativa (JR), o Núcleo Central de Justiça Restaurativa (NCJR) do Degase, ligado à Escola de Gestão Socioeducativa (ESGSE) Paulo Freire, promoveu nova reunião na última segunda-feira (06/05), desta vez para sensibilizar possíveis parceiros vislumbrar possíveis caminhos que a JR pode vir a trilhar.

    - A ideia desse novo encontro é sensibilizar os gestores da Prefeitura de Teresópolis e de toda a rede de garantia de direitos, para que a gente consiga ampliar nosso trabalho para além do Criaad Teresópolis, estendendo-o para toda a cidade, e utilizando a unidade como referência – disse a pedagoga Lívia Vidal, do NCJR, ao chegar ao encontro.

    A reunião na unidade serrana contou com a presença da juíza Vania Mara Nascimento Gonçalves, titular da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso de Teresópolis; da presidente do Círculo de Amigos do Menino Patrulheiro (Camp), Madalena Rucker; do secretário de Desenvolvimento Social de Teresópolis, Marcos Jaron, da defensora pública Paula Zolotar, além de servidores e profissionais de diversos setores da sociedade de Teresópolis, como os do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

    Lívia apresentou o projeto e o propósito de estarem ali e convidou todos a refletirem no quê poderiam se comprometer a ajudar no processo de formação da unidade restaurativa. O servidor da ESGSE, Evandro Macedo, seguiu realizando exercícios de reflexão e participação com todos.

    Ao fim, todos se propuseram a contribuir em suas áreas e tornarem o Criaad Teresópolis e a cidade como referências restaurativas.

    - Eu pretendo, ao lado da Secretaria de Educação de Teresópolis e dos empresários parceiros, continuar ajudando milhares de jovens, agora também nesse novo projeto. Parabenizo todos pela inicitiva e pela juventude que está envolvida - disse Madalena Rucker, presidente do Camp.

    Já a juíza Vania Mara disse como pretende ajudar.

    - Pretendo integrar a rede ao Judiciário. Pela minha experiência de 23 anos como juíza, sei como é importante dar voz ao jovem fazendo com que ele seja escutado, principalmente por sua família. Quero me engajar seja na mediação e ou na conciliação - disse a juíza.


    Voltar

  • Revista AÚ
Tecnologia: PRODERJ - Todos os direitos reservados