Novo Degase

Notícias

  • I Fórum de Atenção às Famílias no Degase acontece na ESGSE

    14/11/2018

    Por Ascom Degase 

    Na quinta-feira (08/11), a Coordenação de Saúde Integral e Reinserção Social (CSIRS) do Novo Degase, por meio das Divisões de Psicologia e do Serviço Social, promoveu o I Fórum de Atenção às Famílias no Degase, que teve como tema “Fale de mim comigo”.

    O evento, que aconteceu durante todo o dia, reuniu cerca de 60 pessoas no auditório da Escola de Gestão Socioeducativa (ESGSE) Paulo Freire, no campus da Cecel, na Ilha do Governador,  teve como objetivo aproximar e potencializar o debate sobre o trabalho realizado junto às famílias para torná-los protagonistas no processo da socioeducação e fortalecer a integração com a equipe de trabalho multidisciplinar do Departamento.

    O norteador do Fórum foi o Programa de Atenção às Famílias do Degase, que teve início com o GT Família, estabelecido desde 2015. Diante da relevância da implementação das propostas sugeridas pelo grupo e as metas institucionais relativas à atenção as famílias, em setembro de 2018 foi publicada em D.O. a Portaria Degase Nº546, que instituiu a Comissão de Implantação do Programa de Atenção às Famílias do Degase e o Núcleo de Atenção às Famílias (NUAF/Degase), composto por representantes das áreas de saúde, educação, administração e segurança.

    A mesa de abertura do Fórum foi composta pelo chefe de gabinete, Alexandre Lessa, representando a Direção Geral do Degase; a coordenadora da CSIRS, Christiane da Mota Zeitoune; a diretora da Divisão de Psicologia, Cristina Michelini; a diretora da Divisão de Serviço Social, Leila Mayworm Costa e a diretora da Escola de Gestão Socioeducativa (ESGSE), Janaína Abdalla. 

    Durante o dia ainda aconteceram mesas, mediadas pela psicóloga e membro do NUAF, Vanda Vasconcelos Moreira,  que trouxeram a conhecimento os dados da pesquisa “Famílias Além Muros: Famílias dos adolescentes inseridos no Sistema Socioeducativo nos diferentes territórios das unidades do Degase”, apresentada pelas pesquisadoras Joice Brum (UFF) e Ida Motta (ESGSE/Degase); e a A Escuta das Famílias e suas Representações Sociais, com representantes das famílias dos jovens internos no sistema socioeducativo, a Associação de Mães e Amigos da Criança e do Adolescente em Risco (AMAR), a pastora Kaká Omowalê, a Rede de Mães da Baixada/Movimento de Mulheres e a Casa Mãe e Familiares/Belford Roxo. Na sequência, foi exibido o documentário “Nossos mortos têm voz”, realizado pela Quiprocó Filmes com mães e familiares vítimas da violência de Estado na Baixada Fluminense, com direção e roteiro de Fernando Sousa e Gabriel Barbosa.

    A ocasião ainda reuniu profissionais de diversas unidades do Degase, para discutir as práticas e desafios da equipe no trabalho com as famílias. Participaram a assistente social do Centro de Atendimento Intensivo de Belfor Roxo (CAI Baixada), Kátia Ferreira de Freitas; a assistente social e diretora adjunta do Cense Dom Bosco, Rejane Costa; a musicoterapeuta do Cense Dom Bosco, Tereza Cristina Costa; as psicólogas do Criaad Caxias, Flávia Nunes e Cristina Miranda e a psicóloga do Criaad São Gonçalo, Patrícia Reis. Também retornaram à mesa a Diretora da Divisão de Psicologia, Cristina Michelini, apresentando o projeto “Pai Presente”, realizado em parceria com a Coordenadoria Judiciária de Articulação de Varas da Infância, da Juventude e do Idoso (CEVIJ) e do GT Primeira Infância; e a Diretora da Divisão de Serviço Social, Leila Mayworm, apresentando o trabalho realizado com a assistência religiosa dentro das unidades socioeducativas e suas contribuições no trabalho com as famílias.

    Uma das organizadoras do evento e também membro da Comissão de Implantação do Programa de Atenção às Famílias do Degase, Leila fez sua consideração sobre o evento, que passa a integrar a agenda do programa:

    - Sem dúvidas, o maior ganho do dia de hoje, além de ter a presença dos familiares aqui conosco, foi o empoderamento das mães, que tiveram seu lugar de fala respeitado e puderam ser ouvidas por todos os presentes – considerou a diretora.


    Voltar

  • Revista AÚ
Tecnologia: PRODERJ - Todos os direitos reservados