Novo Degase

Notícias

  • Segundo dia de Seminário debate práticas de Justiça Restaurativa

    28/09/2017

    Por Ascom Degase

    No segundo dia do seminário (27/09), no auditório do Ministério Público do Rio, a mesa de abertura – que tratava sobre as práticas restaurativas no Degase – teve a participação de Alessandra Ramasine, da Escolas de Perdão e Reconciliação (Espere); de Claudia Arouca, da Constelação Familiares; do psicólogo Juraci Brito, do Projeto Diálogos; da coordenadora de Saúde e Reinserção Social (CSirs) do Novo Degase, Christiane Zeitoune; a pedagoga Lívia Vidal, da Rodas de Conversa Adolescentes; Evandro Macedo, do Grupo de Trabalho de Justiça Restaurativa do Degase; e a assistente social Tânia Mara, do Criaad Penha, e também mediadora da Justiça Restaurativa.

    Juraci apresentou um vídeo com os encontros do seu projeto, e depois propôs uma dinâmica com a plateia. Todos expuseram suas experiências. A mesa teve a participação também do cineasta Marcos Carvalho, autor do filme “Chico”, em que trata de temas como comunidade, crítica social e que recebeu o prêmio de melhor filme do Programa Cine Brasil.

    Na segunda mesa – Justiça Restaurativa, uma política pública em construção no Brasil –, o juiz da Vara da Infância e Juventude de São Paulo, Egberto Penido, falou sobre as experiências do seu estado e colocou uma questão em discussão.

    - Já passou da hora de buscarmos novas alternativas, as pessoas cumprem a pena e acham que está tudo resolvido. O que ele fez para reparar o dano?

    Também participaram da mesa a coordenadora do Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Criança e do Adolescente (Cededica), Maria Carmen de Sá, e a coordenadora da Coordenação Geral do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da Republica (SDH/PR), Cecília Froemming, que parabenizou o Degase, por não conhecer outro lugar onde estejam organizando esse tipo de debate sobre Justiça Restaurativa. A mesa foi mediada pela diretora da Escola de Gestão Socioeducativa Paulo Freire do Novo Degase, Janaína Abdalla.

    Na última mesa, o seminário recebeu o professor Daniel Achutti, coordenador do curso de Direito da Unilasalle; o Dr. André Tredinnick, juiz da 1ª Vara de Família/Regional Leopoldina/Comarca da Capital; e o policial civil e bacharel em Direito, Roberto Chaves, coordenador do Programa Papo de Responsa.

    Os acadêmicos apresentaram dados sobre o encarceramento no Brasil, suas opiniões e possíveis soluções com a contribuição da Justiça Restaurativa. Achutti concluiu sua fala com uma frase estimulante e otimista.

    - O crime é um produto de construção humana, e como construção humana, pode ser desconstruído. 

    Voltar

  • Revista AÚ
Tecnologia: PRODERJ - Todos os direitos reservados