Novo Degase

Notícias

  • Grafiteiros do movimento “Urbanizo” fazem sensibilização no Criaad Bangu

    15/12/2016

    Por Ascom 

    Na última segunda-feira (12/12) foi apresentado aos adolescentes que cumprem medida socioeducativa no Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaad) Bangu, unidade de semiliberdade do Degase, o projeto Urbanizo, do Movimento de Cultura Urbana da Zona Oeste. Na ocasião, os profissionais que vão trabalhar no Criaad as oficinas de grafite a partir de março, fizeram uma sensibilização com os jovens.    

    O evento contou com as presenças dos artistas plásticos e grafiteiros Jefferson Cora, Tainan Cabral, Guilherme Kid e David Smith, e também com a dupla de MC’s Xamã e Estudante, jovens moradores da Zona Oeste do Rio, que contaram por meio de suas rimas um pouco de suas histórias e cantaram algumas de suas músicas.   

    - Esta ação foi essencial para o esclarecimento da história do grafite e para mostrar uma outra perspectiva de vida através desta arte urbana, que de alguma forma é muito próxima de todos eles – comentaram os artistas. 

    A iniciativa faz parte de uma parceria da Divisão de Cultura, Esporte e Lazer (Dicel) do Degase. Praticamente todos os jovens do Criaad participaram da atividade e pintaram com os artistas uma parede cedida para a atividade inicial. Nela grafitaram a palavra “Superação”.  

    Toda a equipe do Urbanizo, como idealizadores e realizadores do projeto, agradeceram a oportunidade e se disseram muito felizes com o resultado desta ação e o que poderá vir em 2017. 

    O Movimento de Cultura Urbana da Zona Oeste – Urbanizo – pretende apresentar a arte urbana a partir do grafite (ou graffiti) e quer tornar os muros mais bonitos e coloridos. A partir desta mudança visual pretendem difundir a arte feita por artistas oriundos da Zona Oeste, realizando um trabalho coletivo com os adolescentes, a partir das oficinas para revitalização dos espaços no Criaad Bangu. Assim como a construção de atividades que ofereçam o conhecimento técnico, a historicidade e as ferramentas do movimento artístico urbano do grafite.

    Voltar

  • Revista AÚ
Tecnologia: PRODERJ - Todos os direitos reservados