Novo Degase

Notícias

  • Fórum de Assistência Religiosa reúne instituições e servidores na ESGSE

    25/11/2016

    Por Ascom

    Organizado pela Coordenação de Saúde – Divisão de Serviço Social  do Novo Degase, aconteceu nesta última quarta-feira (23/11), durante todo o dia, no auditório da Escola de Gestão Socioeducativa (ESGSE) Paulo Freire, no campus da Cecel, na Ilha do Governador, o Fórum de Assistência Religiosa no Sistema Socioeducativo do Estado do Rio de Janeiro. O evento teve como objetivo apresentar a assistência religiosa como direito do adolescente privado de liberdade e como contribuição valiosa para sua inclusão construtiva na sociedade.

    Também colocou em evidência e estimulou a mobilização dos assistentes religiosos e de suas instituições, além de identificar as possibilidades de desenvolver ferramentas de articulação e estratégias de ação.

    Após a apresentação da diretora de Serviço Social, Leila Mayworm, a mesa de abertura contou com o diretor geral Alexandre Azevedo; a coordenadora de Saúde, Christiane Zeitoune; a assistente social, Tânia Mara, o coordenador de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, George Fox; e a diretora da Diretoria Especial de Unidades Prisionais e Socioeducativas (Diesp), Maria Minerva.

    Azevedo lembrou do começo da assistência religiosa no mundo, falou sobre pertencimento e ressaltou a importância da continuação do trabalho a partir da Carta de Princípios da Assistência Religiosa prestada aos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, aprovada pelo Degase, em junho de 2015.

    Já Fox recordou a missão do departamento e fez questão de ressaltar a importância do trabalho dos parceiros religiosos dentro do departamento. Misael Rocha, da Igreja Pentecostal, abordou as leis que envolvem a assistência religiosa.

    Na parte da tarde, foram apresentadas experiências exitosas das instituições parceiras, que contribuem no cotidiano do sistema socioeducativo do Rio. Pastoral da Juventude em Conflito com a Lei, Igreja Bola de Neve, Grupo Aliança da Misericórdia, Casa Mãe, Igreja Universal do Reino de Deus e Associação Águia contaram suas experiências e possíveis soluções para os problemas existentes.

    No fim, para o representante da Igreja Metodista do Brasil, André Guimarães, como resultado do fórum e como uma possível busca para os adolescentes, os parceiros devem focar nos problemas existentes quando o jovem sai do sistema, principalmente na empregabilidade.

    - Acredito que o que ficou desse fórum é que temos que concentrar nossos esforços na pós-medida, quando o jovem deixa o Degase e, muitas vezes, não tem um emprego, uma sequência lá fora. Empregar esses meninos seria o objetivo a ser alcançado também por nós, parceiros. 

    Voltar

  • Revista AÚ
Tecnologia: PRODERJ - Todos os direitos reservados