Novo Degase

Notícias

  • CAI Belford Roxo recebe ciclo de debates

    21/09/2015

    Por Ascom

    Na última quinta-feira (10/9), o Centro de Atendimento Intensivo (CAI) Belford Roxo recebeu o ciclo de debates “O Jovem do Século XXI e suas Vulnerabilidades”, realização do Workshop de Cinema e TV Retratos Grupo Palco dos Mil Sonhos (GPMS) Produções Artísticas e produzido por Daniel Alban e Jefferson Rocha, sob direção geral de Leônidas Lopes, agente socioeducativo e fundador do Grupo. O evento teve início com a participação do Grupo Quilombo Moderno e desfile das finalistas do Miss Beleza Negra. 

    Os internos integrantes do grupo de teatro do CAI encenaram “A última flor”, sob direção do professor Jefferson Rocha. Antes da mesa de debate, também foi apresentado o ‘teaser’ do filme “Retratos”, com participação de dois adolescentes egressos e preparação de Rodrigo Mikelino. O filme será lançado oficialmente no Dia do Cinema e o Grupo já tem preparado, conforme informado no evento, mais um filme e dois musicais. Dois egressos também receberam homenagem por terem recebido emissão de DRT (registro profissional emitido pela Delegacia Regional do Trabalho) pelo Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro (SATED-RJ).

     A mediadora do Ciclo foi a diretora adjunta do GPMS e bacharel em Direito Bruna Brederode que recebeu, entre vários participantes, e homenageou, em  nome do Grupo, Ivone Caetano e Nilson Bruno Filho, primeira negra desembargadora e primeiro negro defensor público geral, respectivamente, do Estado do Rio de Janeiro e ao diretor do CAI, Luiz Fernando. Os componentes da mesa abordaram a questão da vulnerabilidade social a que os negros, sobretudo os mais pobres, são submetidos, além de possibilidades e perspectivas de mudança nesse quadro. A desembargadora discursou sobre o preconceito.

      – O preconceito acompanha o negro onde quer que ele esteja, seja rico ou pobre. A única coisa que vai melhorar a situação é a autoestima. As pessoas de pele negra no Brasil não podem esquecer do sangue que lavou e lavrou essa terra por séculos. Precisamos que nossa sociedade, como um todo, não perpetue essa conivência com o preconceito.  E o poder público precisa assumir a luta por políticas de igualdade e não continuar omisso. 

    Compuseram a mesa de debate e compartilharam reflexões sobre o tema:

    O diretor e fundador do GPMS - Grupo Palco dos Mil Sonhos - Trabalho Voluntário -  Leônidas Lopes; o diretor da Unidade CAI Belford Roxo Luiz Fernando Brandão; o primeiro negro defensor público geral do RJ,Nilson Bruno Filho, a Desembargadora Ivone Caetano; a pedagoga e diretora do Colégio Estadual Jornalista Barbosa Lima Sobrinho, Miriã Moreira; o professor de história do Degase e da Faetec, Aderaldo Pereira dos Santos; a médica Ginecologista,Berenice Aguiar; a assistente social, Suely Beatriz Ferreira; o advogado Márcio Caetano; o advogado e membro da Comissão de Igualdade Racial da OAB/RJ Rogério Gomes; o diretor, ator, jornalista, Délcio Marinho;  o fotógrafo Stérferson Farias; o diretor, ator, bailarino Rodrigo Mikelino; a pastora Maria do Carmo; o historiador e representante da Educafro, André Guimarães; e o Jogador de Basquete, WG de Rua.

    Voltar

  • Revista AÚ
Tecnologia: PRODERJ - Todos os direitos reservados